O (in)compatível sentido da lógica (2012)

Pode-se afirmar que, de forma mais ou menos leviana, desde meados dos anos noventa tem sido dado um maior enfâse à produção de arte vídeo em Portugal. A viragem de século, a apropriação de discursos próprios, uma maior autonomia do medium e, finalmente, uma melhor aceitação desta prática artística pelo lado institucional do mundo da arte, permitiu que tais formas de experimentação artística incorporassem questões formais prementes na contemporaneidade e consolidassem a sua presença.

O vídeo Untitled (2011) de Filipe André Alves identifica-se num novo discurso que os jovens artistas estão a edificar e que recorre a um universo que recapitula o passado do medium incorporando, simultaneamente, uma nova forma de investigação que discute a imitação no seio de uma prática que se institui entre o verdadeiro e a imitação. É esse sentimento que ressalta da mulher que lança o dado de metal reluzente relembrando outros universos que, por exemplo, João Maria Gusmão e Pedro Paiva concebem nas suas produções. Todavia, tal como a erva daninha, a obra de Filipe Alves imita o ato da imitação, ou seja, cria um absurdo dentro do próprio raciocínio e, mesmo usado uma forma lógica, constrói novas metodologias de argumentação e novas formas de conceptualização da obra de arte per se.

Por conseguinte, o presente vídeo opera, na nossa opinião, de forma sistemática e atinge-nos, simultaneamente, com a verdade e o absurdo estabelecendo, portanto, um incompatível sentido entre a lógica e o disforme. Tal afeto, assemelham-se ao argumento de que as nossas observações do real chegaram ao ponto de replicar ou (re)modificar a origem putativa da obra de arte. A tentativa de Filipe Alves recriar o real é, portanto, um golpe de originalidade e autenticidade, confirmando a ideia de que não podemos recriar o real através da mera imitação ou observação, tal como o real não pode existir apenas por causa da infinidade de espetáculos que o rodeiam ou que se apresentam como imitações “autênticas”.

David Etxeberria
Caldas da Rainha
Julho de 2012

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s